Fazendo uma análise etimológica da palavra CRIOLIPÓLISE, podemos extrair facilmente seu exato conceito. “CRIO”, do grego “kryos” significa gelo, frio. LIPO, do grego “lípos” significa gordura, substância gorda. E “LISE” do grego “lúsis”, exprime a ideia de dissolução, ato de separar. 

O método consiste em resfriar as células de gordura para que elas sejam eliminadas naturalmente pelo corpo. Não oferece riscos à saúde e nem alterações sanguíneas. O paciente tende a perder de 20% a 30% de gordura na região tratada, a cada sessão. Para realizar esta técnica, é criado um ambiente de baixa temperatura, que não deve ser extrema, para não haver ulceração por congelamento, mas que deve ser necessariamente inferior à temperatura corporal. E é isso que os aparelhos de criolipólise fazem.  Através de uma ponteira, é formado um vácuo que suga a região da gordura localizada, possibilitando que apenas essa região seja resfriada.

A criolipólise deve ser feita por profissionais especializados e capacitados para essa técnica e os equipamentos devem ser licenciados pela ANVISA e com calibração correta.